Em algum lugar

Nasci perdida sem rumo certo ou incerto. O vento algumas vezes diz quais direções são certas, ou não. A luz que nunca está apenas no fim, me ilumina estranhos caminhos. Minha razão deve sempre podar alguns cantos, pedaços que vejo como perfeitos. Meu coração tenta…

Continue lendo →

Pretextos

Delírios; quantas podem caber dentro de mim? Crianças nascidas, aflitas, bem-aventuradas e medrosas, Meninas amadas, talentosas, ousadas e disfarçadas. Mulheres explosivas, únicas, felizes, destemidas e gloriosas. Senhoras intuitivas, crentes, enrustidas e sem conduta. Velhas desentendidas, esquecidas, indulgentes e supremas. Quantos podem nos cobiçar? Quantos podemos…

Continue lendo →

Nascituro

Sonhei que pintava porém, a tela insistia em continuar lá, sempre em seu estado natural… em branco. São Paulo | 2006

Continue lendo →

Prece de Salvação

Quero abrir meu peito e arrancá-lo de dentro de mim. Quero cicatrizar essa ferida que não para de sangrar. Quero lhe tirar da minha mente. Quero sarar essa doença que tem seu nome. Quero o antídoto para esse vírus que é você. Quero bálsamo para…

Continue lendo →

Crepúsculo

Quero seguir o caminho dos ventos, que embolam as nuvens com dedos miúdos. Que acariciam as árvores com todas as partes do seu corpo. Que se aquecem nos raios de sol, sem deixar de caminhar pelo céu. Que tem sonhos marotos ao luar. Que choram…

Continue lendo →

Pensamentos

O exercício de sonhar é inerente à arte. Essa essência é a busca do caminho criado pela força da curva, a manifestação da alma que ao ousar em tantas direções cria universos inteiros em contrastes, formas, linhas, movimentos, ritmos, cores, valores, corpos, paisagens, profundidades, intensidades…

Continue lendo →

Resistência

O que há dentro de mim que explode, sem controle e destrói, prestes a se tornar dois, ou quem sabe muitos mas não sabe compartilhar nada. Que grita desesperado o grito poético, ritmado e sem sentido, escondido, ignorado e apagado. Resistente e imunizado a tantas…

Continue lendo →

Presente Ausente

O quão hipócrita pode ser o amor? Ele tem o poder de arremessar uma alma além do horizonte, às vezes, esse poder faz caminhar por estrelas distantes, sorridentes… e, deixa a mais bela e doce melodia monocromática. Alguns sorrisos já são imunes outros profundamente infectados,…

Continue lendo →