O tempo

O tempo compõe a melodia do riso Sempre e aos poucos, esculpida por pequenas lascas dos restos roubados, tirados de mim. Paciência e ausência com um toque sadomasoquista. O tempo desenha jocoso o riso, rebola ao ritmo, orientado em direção a rosa dos ventos Cercada….

Continue lendo →

Tantas em muitas de mim

Muitas de mim, que há muito não apareciam por aqui começam a voltar. Devagar, começam a bater à minha porta, algumas parecem entrar pela janela em um vôo razante, outras jamais saíram daqui apenas estavam adormecidas, esquecidas. Há ainda as que estão longe! Bem longe,…

Continue lendo →

Aquele olhar

O olhar percorre o mundo, e, um homem é um mundo todo, que busca em um olhar suas estrelas mais brilhantes. Anda, mesmo cansado, à procura de um outro que bem de perto já teve próximo, de si, um hábito doce e morno, na constante…

Continue lendo →

Parte de mim

Como seria acordar e ter as mãos vazias, sem desenhos, sem linhas ou marcas. Meus caminhos, não contariam mais histórias daquilo que ainda não pode acontecer. Continuaria vivendo assim: sem as antigas marcas e, não teria que me preocupar com o envelhecimento da nova linha….

Continue lendo →

Partida

Parte de mim assim sem despedida, aceno ou memória. Encontra a linha, do horizonte sem um fim. Mesmo antes da palavra qualquer palavra, parte de mim! Grita enclausurada, com pés no chão e casulos de nuvens sem forma de flores. Presente? Parte distante de mim….

Continue lendo →

Esboços

Esboços são engraçados… Poderão ou não se tornarem reais um dia e, esse dia pode ser próximo ou distante de olhares curiosos e irritantes. Falam muito sobre algo que não desejam falar de verdade, enganam de leve os desatentos. Acalmam corações inquietos mas não o…

Continue lendo →